About

Ver página 'Quem somos' no menu principal.

Ataque dos macacos em Tryambakeshwar

Nas viagens que fiz à Índia, perdi sempre algumas coisas e ganhei outras, considero mais importante o que perdi do que o que ganhei, pois nessa terra já me libertei de muita 'bagagem'; na minha primeira viagem em 2007/2008 perdi, por exemplo, o meu passaporte - perda que para mim simboliza uma mudança fundamental no meu sentido de identidade, perdi várias ideias que tinha sobre o yoga e fiquei sem dúvida mais leve, e também ganhei algumas coisas, entre as quais umas histórias curiosas. Nestas viagens houve sempre alguma transformação importante que preferi guardar para mim, por isso as histórias que vivi deram sempre jeito para ter resposta à pergunta que muitas vezes ouvi: 'Então como é que foi essa viagem? O que é que aconteceu por lá?', para evitar a resposta silenciosa que melhor descreveria o que aconteceu de mais significativo, contei muitas vezes a história do ataque de macacos que me surpreenderam em Tryambakeshwar. Tryambakeshwar é [...]

By |2017-06-08T20:41:29+00:00 3 Abril, 2016|Categories: Viagens|Tags: , , , |

Despertar do Prana

Esta texto é a primeira de duas partes de um satsang doSwami Satyananda Saraswati, em Zinal na Suíça, em setembro de 1981, sobre o despertar do prana. Prana: a Força Vital Universal No corpo físico, temos dois tipos de energias. Uma delas é conhecida como prana e a outra é conhecida como mente ou consciência. Isto significa que em todos os órgãos do corpo  existem dois canais de fornecimento de energia. A fisiologia moderna descreve dois tipos de sistema nervoso - o simpático e o parassimpático, e estes dois sistemas nervosos estão interligados em cada órgão do corpo. Da mesma forma, todos os órgãos recebem a energia do prana e a energia da mente. No yoga, o conceito de prana é bastante científico. Quando falamos de prana, não queremos dizer respiração, ar ou oxigênio. Falando precisa e cientificamente, prana significa a força vital original. Prana é uma palavra sânscrita formada pelas sílabas pra e na. 'Na' significa movimento [...]

By |2014-09-23T20:47:50+00:00 23 Setembro, 2014|Categories: Textos|

Vanda Scaravelli

Vanda Scaravelli, uma professora de yoga exemplar, inspirou muitos professores e praticantes através da sua abordagem plena de leveza e poesia. Aqui ficam alguns excertos do seu livro ‘Awakening the Spine’: A gravidade é uma parte da natureza. Mantém o mundo agregado. Estamos todos ligados por ela. Estamos ligados à terra. A terra está ligada ao sol. Quando estamos de pé a gravidade puxa-nos da cintura para baixo. Sentes uma força a puxar. A terra puxa-te para baixo. Se estiveres descontraído e atento ao corpo, sentes essa força. Deixas o corpo a ser sugado pela terra e isso é a gravidade. Ao mesmo tempo a parte alta do corpo torna-se mais leve, aberta, consciente e descontraída. Tem tudo a ver com a forma como a coluna se move dos calcanhares até ao alto da cabeça com a gravidade. Deixas o corpo afundar, afundar, afundar, e a parte alta do corpo torna-se mais leve. Quanto mais te afundas, mais leve [...]

By |2014-08-25T21:13:53+00:00 25 Agosto, 2014|Categories: Textos|

Os Koshas 2

Esta é a segunda de duas partes de um texto do Swami Niranjanananda Saraswati, sobre os Koshas, os cinco véus ou camadas que constituem o corpo (no sentido mais amplo da palavra) humano. As notas e os parênteses em itálico são do tradutor. (...continuação) Vijnanamaya Kosha Depois do manomaya, chegamos ao vijnanamaya kosha. Jnana significa ‘sabedoria’, ‘conhecimento’; o prefixo ‘vi’ é uma confirmação da intensidade do conhecimento que é derivado não só das experiências e memórias desta vida, mas também de vidas passadas. Há um depósito de conhecimento em cada um de nós, mas não fomos educados para ter a experiência desta sabedoria interior. O vijnanamaya kosha tem associados os aspectos de chitta e ahamkara. Chitta significa a capacidade de conhecer, de nos tornarmos o observador do que realmente acontece, para ser capaz de viver a realidade e não uma especulação ou fantasia. Ahamkara é o aspecto do ego, no verdadeiro sentido da palavra, não no sentido grosseiro; [...]

By |2014-08-07T18:37:44+00:00 5 Agosto, 2014|Categories: Textos|

Os Koshas

Esta é a primeira de duas partes de um texto do Swami Niranjanananda Saraswati, sobre os Koshas, os cinco véus ou camadas que constituem o corpo (no sentido mais amplo da palavra) humano. As notas e os parênteses em itálico são do tradutor. Os Koshas O yoga, diz que há cinco dimensões conhecidas como koshas ou véus. A experiência e conhecimento dos koshas ajuda-nos a conhecer a profundidade da mente humana e em última instância, a compreender o estado de dhyana, a meditação. Annamaya Kosha A primeira dimensão é o corpo material, annamaya kosha. Anna significa 'alimento', 'matéria manifestada'; maya, neste contexto, significa ‘cheio de’. Não há milagre maior do que o corpo humano. Apesar de, do ponto de vista da ciência, olharmos para o corpo físico-denso como um conjunto de diferentes sistemas que controlam as funções corporais, o yoga diz que estas funções não são mais do que manifestações da interacção entre energia e consciência. À medida [...]

By |2017-06-08T20:42:13+00:00 20 Julho, 2014|Categories: Textos|