Textos

/Textos

Despertar do Prana II

Esta texto é a segunda de duas partes de um satsang doSwami Satyananda Saraswati, em Zinal na Suíça, em setembro de 1981, sobre o despertar do prana. (...continuação)   Quando praticas pranayama, os pranas são estimulados na parte baixa do corpo, mas tens de ter um meio de elevar a energia. De alguma forma, tens que criar uma força negativa que vai empurrar a energia pranica através da espinal medula. Por esta razão, o pranayama deve ser praticado em coordenação com bandhas específicos. Os três bandhas que são incorporadas na prática de pranayama são jalandhara bandha, uddiyana bandha e moola bandha. Eles criam uma força negativa, como a força de ejecção que é usada para extrair água de um poço. Existem duas forças utilizadas para bombear água: a força de sucção e a força de ejecção. Quando praticamos pranayama com os bandhas, accionamos uma força de ejecção. (...) (...) União com o prana universal O prana não é [...]

By |2014-12-08T20:04:02+00:00 8 Dezembro, 2014|Categories: Textos|Tags: , , |

Despertar do Prana

Esta texto é a primeira de duas partes de um satsang doSwami Satyananda Saraswati, em Zinal na Suíça, em setembro de 1981, sobre o despertar do prana. Prana: a Força Vital Universal No corpo físico, temos dois tipos de energias. Uma delas é conhecida como prana e a outra é conhecida como mente ou consciência. Isto significa que em todos os órgãos do corpo  existem dois canais de fornecimento de energia. A fisiologia moderna descreve dois tipos de sistema nervoso - o simpático e o parassimpático, e estes dois sistemas nervosos estão interligados em cada órgão do corpo. Da mesma forma, todos os órgãos recebem a energia do prana e a energia da mente. No yoga, o conceito de prana é bastante científico. Quando falamos de prana, não queremos dizer respiração, ar ou oxigênio. Falando precisa e cientificamente, prana significa a força vital original. Prana é uma palavra sânscrita formada pelas sílabas pra e na. 'Na' significa movimento [...]

By |2014-09-23T20:47:50+00:00 23 Setembro, 2014|Categories: Textos|

Vanda Scaravelli

Vanda Scaravelli, uma professora de yoga exemplar, inspirou muitos professores e praticantes através da sua abordagem plena de leveza e poesia. Aqui ficam alguns excertos do seu livro ‘Awakening the Spine’: A gravidade é uma parte da natureza. Mantém o mundo agregado. Estamos todos ligados por ela. Estamos ligados à terra. A terra está ligada ao sol. Quando estamos de pé a gravidade puxa-nos da cintura para baixo. Sentes uma força a puxar. A terra puxa-te para baixo. Se estiveres descontraído e atento ao corpo, sentes essa força. Deixas o corpo a ser sugado pela terra e isso é a gravidade. Ao mesmo tempo a parte alta do corpo torna-se mais leve, aberta, consciente e descontraída. Tem tudo a ver com a forma como a coluna se move dos calcanhares até ao alto da cabeça com a gravidade. Deixas o corpo afundar, afundar, afundar, e a parte alta do corpo torna-se mais leve. Quanto mais te afundas, mais leve [...]

By |2014-08-25T21:13:53+00:00 25 Agosto, 2014|Categories: Textos|

Os Koshas 2

Esta é a segunda de duas partes de um texto do Swami Niranjanananda Saraswati, sobre os Koshas, os cinco véus ou camadas que constituem o corpo (no sentido mais amplo da palavra) humano. As notas e os parênteses em itálico são do tradutor. (...continuação) Vijnanamaya Kosha Depois do manomaya, chegamos ao vijnanamaya kosha. Jnana significa ‘sabedoria’, ‘conhecimento’; o prefixo ‘vi’ é uma confirmação da intensidade do conhecimento que é derivado não só das experiências e memórias desta vida, mas também de vidas passadas. Há um depósito de conhecimento em cada um de nós, mas não fomos educados para ter a experiência desta sabedoria interior. O vijnanamaya kosha tem associados os aspectos de chitta e ahamkara. Chitta significa a capacidade de conhecer, de nos tornarmos o observador do que realmente acontece, para ser capaz de viver a realidade e não uma especulação ou fantasia. Ahamkara é o aspecto do ego, no verdadeiro sentido da palavra, não no sentido grosseiro; [...]

By |2014-08-07T18:37:44+00:00 5 Agosto, 2014|Categories: Textos|

Os Koshas

Esta é a primeira de duas partes de um texto do Swami Niranjanananda Saraswati, sobre os Koshas, os cinco véus ou camadas que constituem o corpo (no sentido mais amplo da palavra) humano. As notas e os parênteses em itálico são do tradutor. Os Koshas O yoga, diz que há cinco dimensões conhecidas como koshas ou véus. A experiência e conhecimento dos koshas ajuda-nos a conhecer a profundidade da mente humana e em última instância, a compreender o estado de dhyana, a meditação. Annamaya Kosha A primeira dimensão é o corpo material, annamaya kosha. Anna significa 'alimento', 'matéria manifestada'; maya, neste contexto, significa ‘cheio de’. Não há milagre maior do que o corpo humano. Apesar de, do ponto de vista da ciência, olharmos para o corpo físico-denso como um conjunto de diferentes sistemas que controlam as funções corporais, o yoga diz que estas funções não são mais do que manifestações da interacção entre energia e consciência. À medida [...]

By |2017-06-08T20:42:13+00:00 20 Julho, 2014|Categories: Textos|