Viajar na Índia de comboio é uma experiência extremamente enriquecedora e ao mesmo tempo desafiante. Comprar bilhetes com meses de antecedência e fazê-lo rapidamente no dia em que ficam disponíveis online antes que esgotem,  encontrar a linha certa em estações com dezenas de linhas e milhares de pessoas em constante movimento, tudo é desafiante. Conhecer pessoas de várias partes da Índia, falar com elas, ouvir as suas histórias, os seus conselhos, as suas sugestões, observar da janela do comboio a complexa paisagem urbana e a vastidão deslumbrante das paisagens naturais, é enriquecedor.

A empresa que faz a gestão do sistema ferroviário indiano, a ‘Indian Railways‘ é estatal. É o sétimo maior empregador a nível mundial e opera uma vasta e complexa rede por toda a Índia, com cerca de 115000 km de linhas que passam por cerca de 7112 estações. Por ano transporta em média 8000 milhões de passageiros, ou seja, aproximadamente 23 milhões por dia. Transportar tanta gente numa área tão vasta, envolve uma tremenda logística e essa é uma das razões por detrás dos lendários atrasos dos comboios indianos. Atrasos entre 3 e 6 horas são comuns e dependendo da distância percorrida, podem chegar às 24 horas. Nas nossas viagens de comboio pela Índia, já por diversas vezes fomos confrontados com longos atrasos. Essa experiência pode expressar-se de várias formas; horas na estação à espera que o comboio chegue (quando a estação de partida é a primeira de onde o comboio sai isto normalmente não acontece), horas no comboio parado no meio de nenhures, em estações, ou em marcha extremamente lenta, ou então uma combinação das anteriores.

No vídeo abaixo vê-se uma parte da estação de Calcutá, uma estrutura gigantesca, continuamente inundada de gente, de dia e de noite. A confusão começa logo lá fora com centenas de táxis, veículos a descarregar mercadorias, etc.. Lá dentro o constante movimento de pessoas é hipnotizante, ficar a observar durante alguns minutos esse movimento incessante é um verdadeiro exercício de abstração dos sentidos (pratyahara).